Conecte-se com a gente!

E aí, o que você está procurando?

Vereadores em Sorocaba acionam MP e denunciam Manga por crime contra saúde pública

Vereadoras e vereadores acionam MP por crime contra a saúde pública em caso do “tratamento precoce” da COVID-19

Representação protocolada e release original da Prefeitura em anexo (a matéria que consta no site da PMS já foi alterada).

As vereadoras Iara Bernardi (PT) e Fernanda Garcia (PSOL) e os vereadores Francisco França (PT) e Salatiel Hergesel (PDT) protocolaram representação no Ministério Público do Estado de São Paulo nesta quarta-feira (14) denunciando a Prefeitura e o Prefeito Rodrigo Manga (Republicanos) por Fake News e crime contra a saúde pública, decorrentes da divulgação de “estudo preliminar” que apontou cura de pacientes de COVID-19 após o uso do “tratamento precoce”.

Segundo a publicação da Prefeitura em seu portal institucional, foi realizado um estudo preliminar com 123 pacientes de COVID-19 que utilizaram o chamado “tratamento precoce”, sendo que 122 deles sobreviveram, e 1 morreu. Nesta publicação, a Prefeitura estabelece um nexo causal entre o uso do tratamento precoce e a cura da COVID-19. Segundo os parlamentares, trata-se de crime de charlatanismo, pois promete uma cura com base em medicamentos que não têm efeito científico comprovado no tratamento de Coronavírus.

Continue lendo após o anúncio

Eles também acionam a Prefeitura com base do artigo 132 do Código Penal, que estipula detenção de três meses a um ano por expor a vida ou a saúde das pessoas a perigo direto ou eminente.

“Pedimos que se instaure investigação sobre a conduta da Prefeitura Municipal de Sorocaba e do Prefeito Rodrigo Manga, que se utilizaram da estrutura institucional para disseminação de dados pseudocientíficos para referendar a existência de nexo causal entre a cura de pacientes contaminados por COVID-19 e o uso de medicamentos comprovadamente ineficazes contra essa doença, expondo os cidadãos a charlatanismo e risco de vida, na medida em que se sentirão seguros a descumprirem medidas sanitárias necessárias para prevenção contra o Coronavírus por se sentirem ‘protegidas’ por um tratamento precoce sabidamente ineficaz”, escrevem os parlamentares em sua representação.

Segundo a representação, “o mencionado release [no qual a prefeitura divulga seu ‘estudo’] não trouxe informações sobre o modo como esse ‘estudo preliminar’ fora realizado, seus critérios de cientificidade, os dados coletados, etc. Reduziu-se a dizer que foram monitorados 123 pacientes, dos quais 122 sobreviveram à COVID-19, e atribuiu essa sobrevivência ao fato de elas terem feito uso do chamado ‘tratamento precoce’. A única morte do grupo de 123 pacientes seria justamente de uma pessoa que já estaria em estado moderado de avanço da doença e que tomara apenas ‘1’ comprimido do kit Covid”, dizem eles.

Para os parlamentares, “resta claro que a Prefeitura de Sorocaba defende veementemente haver um nexo causal entre a cura de 122 pessoas e o fato de elas terem utilizado medicamentos do kit de tratamento precoce contra Covid. E vai além: defende de forma velada que a morte do grupo se deveu ao fato de a pessoa ter tomado “apenas um comprimido” do kit. Ou seja, defende também o nexo causal entre a morte por Covid e o fato de não se tomar medicamentos do kit Covid”, defendem eles na representação.

Continue lendo após o anúncio

Por fim, eles concluem que “é fato notório que a Prefeitura, por meio de uma pesquisa na qual não são apresentados dados sobre os critérios científicos seguidos, e sequer passou por revisão de cientistas, induz a população a acreditar que os medicamentos do tratamento precoce são responsáveis por impedir a morte de pessoas por Covid-19”, escrevem os parlamentares na peça ao MP.

Entramos em contato com a Secretária de Comunicação da Prefeitura Municipal de Sorocaba, que nos informou que eles ainda não foram acionados oficialmente.

Fórum em Defesa da Vida e Fórum Permanente de Luta de Sorocaba emitiram uma Nota Oficial sobre o caso, confira abaixo:

“NOTA OFICIAL

ESTUDO” SEM BASE CIENTÍFICA DIVULGADO PELA PREFEITURA ZOMBA DA INTELIGÊNCIA DOS SOROCABANOS E PÕE EM RISCO A SAÚDE PÚBLICA

Continue lendo após o anúncio

O Fórum em Defesa da Vida e o Fórum Permanente de Luta de Sorocaba vêm a público denunciar publicação irresponsável e mentirosa da Prefeitura de Sorocaba em seu site e redes sociais (Facebook e Instagram) ocorrida nesta quarta-feira (14/4), em que informa haver a Secretaria de Saúde realizado “estudo preliminar” que comprovaria a eficácia do tratamento precoce contra a covid-19.

O citado “estudo preliminar” foi feito com pessoas sintomáticas, sem qualquer critério científico e sem conhecimento da Anvisa ou supervisão de centros especializados em pesquisas. Foram dados medicamentos comprovadamente ineficazes contra a covid-19 para um grupo de pessoas com “suspeita” de contaminação e, segundo o informe, 99% não desenvolveram a doença.

A Prefeitura não esclarece, sequer, se as cobaias humanas utilizadas haviam testado positivo para a covid-19, limitando-se a informar que apresentavam sintomas. Além de publicar a notícia falsa no site da Prefeitura de Sorocaba e redes sociais, o governo municipal distribuiu release a toda a imprensa local, com as mesmas informações.

A realização de supostos estudos, sem critério científico algum, apenas por amostragem e sem a menor transparência, descortina uma ação irresponsável, inconsequente e criminosa da Prefeitura de Sorocaba, uma vez que a publicação pode levar à automedicação com substâncias que têm efeitos colaterais graves, estes sim, já comprovados cientificamente.

Continue lendo após o anúncio

Um dos medicamentos utilizados no “kit covid” da Prefeitura de Sorocaba, a ivermectina, não é recomendado para tratar a covid-19 nem pelo laboratório que o desenvolveu e o fabrica, a norte-americana Merck. O uso da ivermectina também é desaconselhado pela Organização Mundial da Saúde, Agência Europeia de Medicamentos e pela própria Anvisa, agência do governo brasileiro que cuida da Vigilância Sanitária.

Especialistas têm alertado para o fato de que o uso de ivermectina pode levar a hepatite medicamentosa e a danos irrecuperáveis no fígado, havendo relatos de mortes causadas pela doença entre pessoas que usavam o medicamento.

O Fórum em Defesa da Vida e o Fórum Permanente de Luta conclamam as autoridades às quais compete zelar pela Saúde Pública para que, de ofício, tomem as medidas cabíveis contra esse absurdo que atenta contra a Ciência, inclusive responsabilizando, civil e criminalmente, as autoridades que fazem apologia de fármacos ineficazes, que não curam a covid-19 e iludem, à maneira dos piores charlatães, a boa-fé pública, estimulando comportamentos e atitudes que podem pôr vidas em perigo.”

Continue lendo após o anúncio

Leia Também:

Faz parte de minha profissão visitar bares e restaurantes, o que, na maior parte das vezes, é um grande barato. Uma das minhas diversões...

Nos do grupo Sorocabanices, resolvemos criar um grupo de auto ajuda, onde os membros poderão postar fotos de pessoas e animais desaparecidos, documentos perdidos...

Um caso chocou o Brasil na última terça-feira (19). Uma mulher foi presa após agredir e raspar a cabeça da filha de 13 anos....

Uma forte chuva atingiu Ilha Comprida, litoral de SP, mais conhecida pelos sorocabanos como praia do “Oi”. Mais de 150 mulheres de Sorocaba que...

Anúncio