Polícia Federal e Anvisa interrompem Brasil e Argentina na Arena Corinthians

Agentes da Polícia Federal interromperam a pedido a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a partida entre Brasil e Argentina, válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, após três dos quatro jogadores que furaram a quarentena imposta pelo governo brasileiro por causa da pandemia da Covid-19.

Os atletas Emiliano Martinez, Emiliano Buendia, Giovani Lo Celso e Cristian Romero entraram de forma irregular no país ao negar que estiveram anteriormente no Reino Unido, o que exigiria que fossem submetidos a quarentena.  Três deles entraram em campo como titulares. Após a interrupção do jogo, os atletas das duas equipes foram para os vestiários.

Apesar de a agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter notificado a Associação Argentina de Futebol (AFA)  de que os atletas não poderiam deixar o hotel em que a delegação argentina estava concentrada, todos foram para a Arena Corinthians.

Segundo a analista de política da CNN Brasília Rodrigues, a situação irritou autoridades da Anvisa, que pediu a deportação dos atletas.

Em nota, a Anvisa divulgou neste domingo que após denúncia consultou os passaportes dos quatro atletas e identificou que eles mentiram.

“Eles descumpriram regra para entrada de viajantes em solo brasileiro, prevista na Portaria Interministerial nº 655, de 2021, a qual prevê que viajantes estrangeiros que tenham passagem, nos últimos 14 dias, pelo Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia, estão impedidos de ingressar no Brasil”, informa a agência. A portaria é assinada pelos ministérios da Justiça, Saúde e Casa Civil.