Piloto do avião que caiu em Piracicaba morava em Sorocaba

O avião que caiu nesta manhã de terça-feira (14) na cidade de Piracicaba e matou 7 pessoas, sendo 5 da mesma família e piloto e copiloto, entristeceu todo Brasil.

O empresário piracicabano Celso Silveira Mello Filho, 73 anos de idade, um dos acionistas do Grupo Cosan, um dos maiores conglomerados sucroalcooleiros do mundo e que também atua nos setores de agronegócio, distribuição de combustíveis, gás natural e lubrificantes e logística, sua esposa, Maria Luza Meneghel, 71 anos, e os três filhos – Celso e Fernando, gêmeos com 46 anos, e Camila, com 48 – morreram na queda da aeronave King Air 360, registrada na manhã desta terça-feira (14). O acidente aconteceu na cidade de Piracicaba.

O avião, que havia acabado de decolar do aeroporto local com sete ocupantes, explodiu e pegou fogo após a queda, não deixando sobreviventes.

Além da Família Silveira Mello, o piloto do avião, Celso Elias Carloni, de 39 anos de idade (também piracicabano, mas que morava com a família, esposa e filho, em Sorocaba, e desde 2013 atuava na Aviação Executiva), e o copiloto Giovani Gulo também morreram. Celso Mello era acionista e irmão do presidente do Conselho de Administração da Cosan, Rubens Ometto Silveira Mello.

Conforme testemunhas, o bimotor perdeu altura e acabou caindo em uma área de mata no bairro Santa Rosa, depois de se chocar com alguns eucaliptos.

A explosão causou um incêndio no local, que fica próximo à Faculdade de Tecnologia. Equipes do Corpo de Bombeiros encontraram o avião em chamas e constataram que não havia sobreviventes.