Abordagem de GCM de Sorocaba a vendedora de água causa revolta na internet

O vídeo que está circulando na internet está causando revolta em alguns moradores de Sorocaba

O vídeo mostra guardas municipais de Sorocaba abordando uma vendedora ambulante de água no centro de Sorocaba, muitas pessoas na internet criticaram a atitude dos guardas e dizem que a forma da abordagem foi dura demais, ainda mais se tratando de uma mulher. Veja o vídeo abaixo:

Vale ressaltar que o comércio ambulante irregular é proibido em Sorocaba e a GCM segue ordens do município.

Prefeita determina que Corregedoria se inteire de ação da GCM

A prefeita de Sorocaba, Jaqueline Coutinho, determinou que a Corregedoria Municipal se inteire dos fatos que envolveram uma ação da Guarda Civil Municipal, neste sábado (07).

O caso envolve guardas civis municipais que detiveram uma vendedora ambulante, na região central da cidade, depois de resistir à apreensão de suas mercadorias e desacatar os componentes da GCM.

De acordo com o comandante da GCM, Marcos de Carvalho Mariano Machado, “em cumprimento ao decreto 21.08, a Guarda Civil Municipal, em operação na área central, patrulhava a pé o calçadão da Barão do Rio Branco, esquina com a rua José Bonifácio, quando se deparou com a senhora Josiane Aparecida Afonso praticando o comércio ambulante, momento em que lhe foi dada uma ordem legal para que entregasse a mercadoria para ser apreendida.

A mesma recusou-se a entregar e ainda desafiou os GCMs que ali estavam, dizendo “Nao vou entregar, pega se você tiver coragem”.

Em seguida essa senhora resistiu e não permitiu que o material fosse apreendido, e passou a instigar a população a se voltar contra os GCMs, gritando palavras de baixo calão, impropérios e ofensas. Diante do desacato praticado contra os GCMs, demos voz de prisão e no momento da detenção a senhora resistiu, jogando-se no chão, sendo necessário o uso de força moderada para detê-la, e diante da resistência e da agressividade, foi necessário ainda o uso de algemas para preservar a sua integridade física e a dos agentes envolvidos.

Ao chegarmos à Delegacia de Polícia fomos orientados pelo delegado de plantão, Dr. Pedro Luiz Dalboni, a conduzir a mesma até o pronto- atendimento da Zona Norte, pois se queixava de dores , mas a senhora acabou recusando ser atendida”.