Conecte-se com a gente!

E aí, o que você está procurando?

Médicos se unem e fazem festa surpresa de aniversário para paciente de 72 anos

CEARÁ — Balões, bolo, violão e até palhaços. Um grupo de quase 30 profissionais transformou a rotina silenciosa da enfermaria da clínica médica do Hospital Regional do Cariri (HRC), em Juazeiro do Norte. O objetivo foi celebrar mais um ano de vida de um paciente muito querido, Raimundo Cartaxo Leite.

Internado no HRC, do Governo do Ceará, desde 13 de fevereiro, o aposentado acordou no dia 15 de abril mais emotivo, já que essa seria a primeira vez que passaria o aniversário em uma unidade hospitalar. O dia em que o paciente completaria 72 anos de vida, entretanto, não passaria em branco. Houve festa e até uma fatia de bolo para seu Raimundo.

O interno de medicina Felipe Veras, que acompanha o paciente e recebeu o primeiro pedaço de bolo, deixou o dia do seu Raimundo mais doce. “Eu acredito que esse deva ser um princípio básico. A medicina por muito tempo estudava o paciente pela doença, mas não estamos falando apenas de um paciente com um tipo de comorbidade, ele tem uma história, tem todo um contexto de vida que precisa ser levado em conta”, avalia Felipe.

Continue lendo após o anúncio

Seu Raimundo deu entrada no HRC com um quadro clínico grave. Além de hipertenso, o diabetes vem castigando o aposentado. Mesmo tratando, a doença evoluiu e ele teve de amputar a perna esquerda. Como o paciente tem outras doenças, o quadro clinico dele é instável e ele está sob cuidados paliativos.

Esses cuidados são assistenciais e integrais, desenvolvidos para o paciente com doença grave e progressiva. Os cuidados paliativos visam melhor qualidade de vida através da prevenção e alívio do sofrimento imposto pela doença. De acordo com a médica Patrícia Mauriz, especialista em cuidados paliativos, há estudos científicos que mostram que, quando iniciados precocemente, os cuidados paliativos melhoram não só a qualidade de vida, mas também a prolongam.

“Eu acredito firmemente que essa constatação tem relação ao reforço que a abordagem paliativa faz ao sentido que a vida tem, que é sempre maior do que a doença do paciente. Aqui no HRC, vivenciamos o desafio de incluir a prática dos cuidados paliativos na enfermaria da Clínica Médica, onde há uma heterogeneidade de pacientes e diagnósticos, bem como um ambiente de ensino com internos e residentes. Tentamos manter viva a chama da humanização do cuidado, com foco não só na biologia, mas na biografia do paciente”, enfatiza.

Regionalização
O HRC foi o primeiro hospital terciário implantado pelo Governo do Estado no interior do Ceará. Em oito anos de funcionamento, já realizou mais de 8 milhões de atendimentos. Com emergência 24h, o HRC é também referência no trauma e AVC Agudo e atende uma população de quase 1,6 milhão de pessoas, que compõem os 45 municípios da macrorregião do Cariri.

Continue lendo após o anúncio

Leia Também:

Faz parte de minha profissão visitar bares e restaurantes, o que, na maior parte das vezes, é um grande barato. Uma das minhas diversões...

Nos do grupo Sorocabanices, resolvemos criar um grupo de auto ajuda, onde os membros poderão postar fotos de pessoas e animais desaparecidos, documentos perdidos...

Um caso chocou o Brasil na última terça-feira (19). Uma mulher foi presa após agredir e raspar a cabeça da filha de 13 anos....

Uma forte chuva atingiu Ilha Comprida, litoral de SP, mais conhecida pelos sorocabanos como praia do “Oi”. Mais de 150 mulheres de Sorocaba que...

Anúncio