Conecte-se com a gente!

E aí, o que você está procurando?

Mãe ajudava companheiro a estuprar a própria filha de 13 anos

Os estupros começaram quando ela tinha 8 anos; a criança foi obrigada a tatuar o nome no estuprador no braço

A mãe de uma menina de 13 anos foi presa em Maués, a 276 km de Manaus (AM), por colaborar com o estupro sistemático de uma de suas filhas pelo padrasto. A violência começou quando a vítima tinha 8 anos. Além dos estupros, a garota ainda foi obrigada a tatuar o nome do homem que a violentava.

Menina estuprada foi obrigada a tatuar nome do estuprador
A mulher, de 33 anos, foi indiciada por estupro de vulnerável e a polícia procura pelo padrasto da garota. Uma investigação foi aberta para verificar se dois outros filhos do casal, de um e quatro anos, também foram abusados sexualmente.

Continue lendo após o anúncio

Segundo a equipe do Conselho Tutelar, a menina foi usada 5 anos atrás como moeda de troca para o casal reatar o relacionamento.

“Ela [menina] conta que a mãe teve um outro relacionamento sem o padrasto saber. Quando ela pediu pra voltar, ele perguntou o que ‘ganharia com isso’, ela disse que ‘qualquer coisa’. Então, ele pediu a criança”, contou o conselheiro tutelar Vanderval Moreira ao G1. “Na época, ela tinha oito anos. Na primeira vez que ele foi cometer o abuso, a mãe a segurou pelos braços e ajudou a tampar a boca dela.”

A menina disse à polícia que a mãe esteve presente em todos os estupros. Segundo a Polícia Militar, uma quarta filha, de 11 anos, que mora em Manaus, seria cobiçada pelo casal.

Como denunciar

Continue lendo após o anúncio

Por meio do Disque 100, o usuário pode denunciar violências contra crianças e adolescentes, colher informações acerca do paradeiro de crianças e adolescentes desaparecidos, tráfico de pessoas – independentemente da idade da vítima – e obter informações sobre os Conselhos Tutelares.

O serviço funciona diariamente de 8h às 22h, inclusive nos finais de semana e feriados. As denúncias recebidas são analisadas e encaminhadas aos órgãos de defesa e responsabilização, conforme a competência, num prazo de 24h. A identidade do denunciante é mantida em absoluto sigilo (as informações são da UNICEF).

Continue lendo após o anúncio

Leia Também:

Faz parte de minha profissão visitar bares e restaurantes, o que, na maior parte das vezes, é um grande barato. Uma das minhas diversões...

Nos do grupo Sorocabanices, resolvemos criar um grupo de auto ajuda, onde os membros poderão postar fotos de pessoas e animais desaparecidos, documentos perdidos...

Um caso chocou o Brasil na última terça-feira (19). Uma mulher foi presa após agredir e raspar a cabeça da filha de 13 anos....

Uma forte chuva atingiu Ilha Comprida, litoral de SP, mais conhecida pelos sorocabanos como praia do “Oi”. Mais de 150 mulheres de Sorocaba que...

Anúncio