Idosos entre 60 a 64 anos voltam a pagar pelo transporte público em São Paulo

A decisão foi conjunta entre o governo de João Doria e o prefeito o Bruno Covas

Imagem meramente ilustrativa.

A partir desta segunda-feira (1º), idosos com idades entre 60 e 64 anos terão que pagar pela passagem nos trens, metrô e ônibus intermunicipais e municipais da cidade de São Paulo. A gratuidade no transporte público para pessoas nesta faixa etária estava em vigor desde 2013 e foi encerrada neste domingo (31).

A alteração nas regras da gratuidade no transporte foi anunciada em dezembro do ano passado, às vésperas do Natal. A decisão conjunta entre estado, gestão João Doria (PSDB) e prefeitura, gestão Bruno Covas (PSDB), atinge 186 mil pessoas que utilizavam o Bilhete Único do idoso somente nos ônibus da capital.

Com o fim da gratuidade, os idosos com menos de 65 anos terão que pagar R$ 4,40 para usar o metrô, os trens ou o ônibus municipal na capital. O preço dos coletivos intermunicipais em São Paulo varia de acordo com o trajeto. Para quem tem mais de 65 anos, o Estatuto do Idoso garante a gratuidade no transporte público urbano.

Inicialmente, o fim da gratuidade começaria a valer em 1º de janeiro. Depois, também em decisão conjunta, estado e prefeitura decidiram adiar para esta segunda-feira (1º). O objetivo foi dar tempo para trocar o Bilhete Único do idoso para o comum ou o do vale-transporte.

A faixa etária que perdeu o benefício deve solicitar a emissão de um novo cartão do Bilhete Único comum para uso no transporte ou pagar a passagem em dinheiro. A Prefeitura de São Paulo está enviando os bilhetes para a casa dos passageiros com idade entre 60 e 64 anos que se cadastraram no site da SPTrans.

A Justiça ainda analisa ações protocoladas pelo Ministério Público, pela Defensoria Pública e por sindicatos contra o fim da gratuidade nos transportes. Ainda não há uma decisão definitiva.

SPTrans libera cotas para estudantes A SPTrans (São Paulo Transporte) liberou a partir deste mês as cotas de gratuidades e meia tarifa para estudantes da educação infantil; ensinos fundamental, médio e superior e Educação de Jovens e Adultos (EJA) de todas as escolas das redes pública e privada.

Para isso, a instituição de ensino deve enviar os dados dos alunos que terão aulas presenciais em 2021. Para receber a cota, o aluno deve informar à unidade escolar que deseja utilizar o Bilhete Único de Estudante, aguardar o envio dos seus dados de matrícula à SPTrans pela instituição de ensino e pagar a taxa de sete tarifas vigentes no valor de R$ 30,80. O boleto é gerado para o estudante no link http://estudante.sptrans.com.br/.

%d blogueiros gostam disto: