Tarado entra em banheiro feminino de shopping para filmar mulheres

O vídeo mostra o homem aguardando o momento para entrar no banheiro feminino e filmar as vítimas, quando é percebido por uma mulher e foge

Um homem suspeito de filmar mulheres dentro do banheiro feminino de um centro comercial no Bairro Meireles, em Fortaleza, nesta terça-feira (3), está sendo investigado pela Polícia Civil do Ceará (PCCE), por meio da Delegacia de Proteção ao Turista (Deprotur). Duas vítimas do crime são de São Luís (MA), registraram um boletim de ocorrência na unidade policial, e foram ouvidas nesta quinta-feira (5). Câmeras de segurança do estabelecimento flagraram o caso.

Segundo Roberta Frota, delegada titular da Deprotur, seis vítimas do ocorrido foram identificadas. Além das duas ouvidas nesta quinta, uma outra mulher deve dar depoimento na delegacia nesta sexta-feira (6). O homem suspeito do crime também foi identificado, segundo a polícia.

As turistas do Maranhão relataram que perceberam a presença de uma pessoa no banheiro, dentro de um box com a porta entreaberta. Segundo elas, quando tentaram acessar o local, a pessoa impediu e ficou em silêncio.

“Narraram que tiveram acesso ao banheiro desse restaurante, que fica dentro do shopping, e notaram que um dos boxes estava entreaberto. Quando elas tentaram acessar esse box, a pessoa não permitiu a entrada e ficou em silêncio. Elas relatam que sentiram uma sensação de vigilância. Ao retornarem à mesa onde estavam no restaurante, uma outra mulher relatou que viu um homem dentro do banheiro e que esse homem tinha filmado”, informou a delegada.

A titular da Deprotur afirmou que solicitou as imagens das câmeras e segurança do restaurante e do centro comercial. As mulheres estavam no restaurante Giz Cozinha Boêmia. O estabelecimento publicou, nesta quinta, uma nota de repúdio sobre o caso.

“Na última terça-feira, 03.11.2020, infelizmente algumas mulheres foram vítimas de um comportamento doentio e deplorável, dentro do banheiro do Shopping Buganvília, quando um homem entrou e tentou tirar fotos delas dentro do banheiro. Nós que formamos o Giz estamos revoltados e tristes com esse ocorrido. Nos entristece saber que tão próximo de nós estão pessoas que ainda pensam que o corpo de uma mulher pode ser tratado como objeto e sem respeito. Nos revolta saber que comportamentos machistas como esse são comuns e muitas vezes silenciados”, diz a nota.

O estabelecimento confirma, ainda, que procurou a polícia para registrar o caso:

“Estamos aqui para repudiar o ato e informar que não apoiamos e não toleramos esse tipo de comportamento. Já acionamos a Polícia e a segurança do shopping e todas as medidas necessárias para que este homem seja responsabilizado por seus atos estão sendo tomadas. A vítima e a todas as mulheres, nos solidarizamos por este crime e podem contar conosco para o que for preciso. Achamos importante que atos como este não sejam silenciados, pois só assim conseguiremos enfrentar com seriedade e diminuir os casos de violência e desrespeito às mulheres”, acrescenta o comunicado.

Vídeo flagra a ação

As imagens do suspeito adentrando o banheiro feminino do local começaram a circular na internet nesta quinta. As câmeras de segurança do centro comercial mostram a movimentação em frente as entradas dos banheiros feminino e masculino, que ficam um ao lado do outro, e estão localizados atrás do restaurante.

O vídeo capta o momento em que o suspeito abre a porta do banheiro masculino, projeta a cabeça para fora e observa a movimentação, em seguida, ele sai do banheiro e fica parado na entrada. Momentos depois, uma mulher deixa o banheiro feminino e o homem finge estar ouvindo um áudio ao celular. Logo que a mulher se afasta, ele entra no banheiro feminino.

Após ficar alguns minutos lá dentro, as câmeras mostram quando o suspeito sai e duas mulheres estão logo atrás dele. Uma delas parece gritar para chamar atenção sobre o fato. Outro vídeo mostra quando o suspeito corre para fugir do local e pula as grades de contenção no centro comercial.

Filmar mulheres em situação íntima é crime

De acordo com a delegada Roberta Frota, o crime a ser imputado ao suspeito vai depender do relato das vítimas. Uma das mulheres que confirmou ter visto o suspeito filmando dentro do banheiro deve ser ouvida nesta sexta-feira (6).

“Pode ocorrer desde uma importunação sexual, até registro não autorizado de imagem ou até mesmo estupro. Mas, até o momento, o crime de estupro ainda não é ventilado, é algo muito mais grave”, disse a delegada. Ela lembra que esse tipo de prática passou a ser considerada crime apenas a partir de 2018, com a Lei 13.718, de 24 de setembro de 2018.

A lei define como importunação sexual “praticar contra alguém e sem a sua anuência ato libidinoso com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro”. A pena pode gerar reclusão de um a cinco anos, se o ato não constitui crime mais grave.