Aulas na rede estadual e privada retomam à partir de amanhã (8) em Sorocaba; entenda

Aulas na rede estadual e privada retomam à partir de amanhã (8) em Sorocaba; entenda

07/09/2020 Off Por SorocabaniceS

Aulas na rede estadual e rede particular tem a permissão para retomar as aulas a partir de amanhã (08) em Sorocaba; já na rede municipal de Sorocaba, as aulas só retornam em 2021

Prefeitura de Sorocaba determinou retorno das aulas presenciais da rede municipal para 2021; escolas privadas e da rede estadual já tem autorização para voltar no dia 8 de setembro; nas escolas estaduais as aulas iniciam como uma espécie de ‘reforço’, para a retoma definitiva em 07 de outubro; saiba mais abaixo.

A Prefeitura de Sorocaba determinou na última quinta-feira (27), por meio do Decreto Municipal Nº 25.880, de 27 de agosto de 2020, o retorno das aulas presenciais na rede pública municipal de ensino para 2021.

A decisão foi tomada após a realização de uma pesquisa de interesse feita pela Secretaria da Educação (Sedu) sobre a retomada de aulas presenciais com pais ou responsáveis de estudantes da rede municipal. O resultado apontou que 84,8% das pessoas consultadas optaram para que os estudantes não retornassem às aulas presenciais.

Quanto a rede privada, a Prefeitura autorizou a retomada gradual das atividades presenciais a partir do dia 8 de setembro, desde que observada integralmente as condições estabelecidas pelo ‘Plano São Paulo’, oriundo do Governo do Estado de São Paulo, referente às orientações sanitárias locais, caso a cidade permaneça por 28 dias consecutivos, ao menos, na fase amarela estipulada pelo documento.

O decreto autoriza, também, a retomada das atividades presenciais na rede estadual, todavia, a determinação do retorno fica sob responsabilidade da Diretoria de Ensino de Sorocaba. Tanto o anexo que contém o ‘Protocolo Sanitário da Educação’ como a pesquisa realizada com a comunidade escolar sobre o retorno presencial podem ser acessados no site da Secretaria da Educação.

Estado de SP começa reforço nesta terça (08) como ‘laboratório’ para volta às aulas

Secretário de Educação de São Paulo fala sobre a retomada das atividades a partir de amanhã, em caráter optativo, nas cidades em fase amarela.

O secretário de Estado da Educação de São Paulo, Rossieli Soares, afirmou nesta segunda-feira (7) que a retomada das aulas de reforço a partir de terça-feira (8) nas cidades que estão há pelo menos 28 dias na fase amarela do Plano São Paulo funcionará como uma espécie de “laboratório para a volta às aulas presenciais a partir de 07 de outubro.”

Em entrevista ao Jornal da Manhã, na rádio Jovem Pan, o Secretário comentou a reabertura que será exclusivamente para atividades de reforço escolar e esportivas. “Hoje estamos olhando para a recuperação, que é opcional, a escola também precisa querer abrir, pais e professores também devem estar de acordo, mesmo que o município dê o aval para a abertura”, disse.

Para o Secretário, a “saúde mental das crianças é muito importante neste momento, por isso também que as escolas começam a ser reabertas gradualmente”.

O governo do Estado contratou mil psicólogos para atender estudantes da rede estadual neste período. “Vamos usar a tecnologia para que as escolas tenham acesso a esses profissionais”, explicou. “Eles terão carga horária definida pela escola; darão atendimentos que pode ser de orientação vocacional, formação de professor e em casos extremos clinicar dentro da escola.”

Com relação ao retorno em outubro, o Secretário destacou que só será possível se houver respaldo da área da saúde. “Acredito que tomando todos os cuidados é possível voltar, agora com a recuperação a gente vai obsevar como será isso”, diz. Rossieli também destacou que apesar da possibilidade de voltar com até 35%, a rede estadual abrirá para apenas 20% dos alunos em sistema de rodízio se as aulas forem retomadas em outubro.

Vale entrar em contato com a escola do seu filho (rede estadual e privada) para ver como está a situação das voltas as aulas na unidade. Lembrando que na rede municipal, as aulas só retornam em 2021.

Rede Privada

Embora autorizadas pelo governador João Doria (PSDB) para retomar as aulas presenciais a partir da próxima terça (8) após quase seis meses de suspensão, algumas escolas adiarão o retorno.

Elas alegam não considerar seguro reabrir as unidades ou pelo pouco tempo que tiveram para planejar as mudanças necessárias.

Pelo Plano SP, cidades que estivessem há pelo menos 28 dias na fase amarela, a terceira na escala de cinco gradações da quarentena, poderiam abrir instituições de ensino privadas e públicas para aulas de reforço e acolhimento de estudantes a partir de 8 de setembro e para aulas regulares em 7 de outubro.

No entanto, houve pouca adesão ao cronograma do estado, algo visto com preocupação pela equipe de Doria, pois o desalinhamento mostra falta de confiança na análise do centro de contingência do coronavírus em São Paulo.

A capital paulista e as cidades do ABC foram os primeiros a anunciar que não seguiriam o cronograma. Na última semana, cinco municípios –Itu, Sorocaba, Itapevi, Ribeirão Preto e Cotia– formalizaram a autorização para que escolas particulares retornassem, mas decidiram deixar as públicas fechadas.

Segundo o governo estadual, 128 dos 645 municípios paulistas (menos de 20%), comunicaram que iriam autorizar algum tipo de retorno.

Sorocaba anunciou que aulas presenciais na rede municipal só voltam em 2021, mas liberou as escolas particulares para reabrir já nesta terça (8). Porém, como a liberação só foi anunciada no último dia 27, as escolas afirmam não terem tido tempo hábil para se organizar.

“Queremos voltar, mas foi muito pouco tempo para comunicar as famílias, identificar quantos vão voltar. Então vamos precisar de pelo menos mais uma semana para nos organizar”, disse Edgar Delbem, diretor regional do sindicato de escolas particulares da região de Sorocaba e mantenedor dos colégios Veritas.

O colégio Uirapuru, também em Sorocaba, montou uma força-tarefa para viabilizar a reabertura no dia 8. “Já havia feito a consulta às famílias e sabia que apenas um terço pretende voltar à escola, por isso, foi possível organizar a tempo”, disse Arthur Fonseca, diretor da unidade.