Filmes de besteirol dão vazão ao escapismo da Covid-19 na Netflix
‘A Missy Errada’, longa com a marca da produtora de Adam Sandler, se junta a outras comédias bobas que dominam a lista dos mais assistidos do site

O ranking de mais assistidos da Netflix costuma evidenciar o humor momentâneo de boa parte de seus milhões de assinantes. Quando o coronavírus tomou o noticiário nacional, por exemplo, o top 10 da plataforma exibia títulos como o filme Epidemia, de 1995, e a série documental Pandemia (2020), entre os mais populares do momento. Agora, em tempos de quarentena a perder de vista, o espectador se mostrou afeito a outro tipo de produção: o besteirol.

Desde que estreou na quarta-feira, 13, a comédia A Missy Errada conquistou seu lugar ali no ranking. No filme, Tim (David Spade) é um empresário bem-sucedido, mas sem sorte no amor, que sofre por ter sido deixado pela ex-noiva. Por obra do destino, ele acaba conhecendo duas mulheres chamadas Melissa, ou Missy para os íntimos, que exceto pelo nome não têm nada em comum. Uma (vivida por Molly Sims) é elegante, séria e disciplinada, características que fazem dela o modelo de mulher que ele almeja.

A outra (Lauren Lapkus) é uma garota atrapalhada, de comportamento “excêntrico”, que o envergonha. Quando surge a oportunidade de uma viagem de negócios, Tim decide convidar a mulher que ele considera ser perfeita, porém, quem recebe e aceita o convite é a Missy errada. Como diria o narrador do programa global Sessão da Tarde, essa dupla vai viver altas confusões.

Na mesma linha, outras comédias abiloladas e apelativas, com muito sexo, momentos desconcertantes e diálogos por vezes preconceituosos figuram entre os mais populares da semana na Netflix. Caso de Despedida em Grande Estilo (2017) com Morgan Freeman; Te Pego na Saída (2017), com Ice Cube; e Férias (2016) com Chris Hemsworth. O apelo é simples: roteiros que não exigem muito raciocínio também são um refresco para tempos de crise. Convenhamos que esquecer uma pandemia por míseros 90 minutos é uma terapia barata e eficaz para a saúde mental do espectador.

Missy Errada e seu humor exagerado tem um nomão do subgênero besteirol nos bastidores: a produtora do longa é a Happy Madison, do ator Adam Sandler. A Netflix e a produtora firmaram um acordo desde 2015 – que foi renovado no início deste ano, para que Sandler estrelasse e produzisse filmes para a plataforma. Um dos mais recentes, Mistério no Mediterrâneo, com Sandler ao lado de Jennifer Aniston, se tornou o longa-metragem mais assistido da Netflix em 2019. Segundo a empresa, desde 2015, os assinantes gastaram mais de 2 bilhões de horas assistindo conteúdos estrelados por Sandler (vai entender…). Mais quatro filmes da produtora estão previstos para estrearem na plataforma — isso se ela não renovar o contrato novamente.

O sucesso de público é alto, mas entre a crítica americana o filme foi chamado de “vergonha alheia”. Ao que tudo indica, porém, a Netflix não errou ao chamar a tal da Missy errada no meio da pandemia.