Apesar da descoberta, estudo ressalta que ainda não se sabe se a covid-19 pode ser transmitida sexualmente

Uma pesquisa realizada por cientistas chineses detectou a presença de coronavírus no sêmen tanto de homens infectados quanto de recuperados. Apesar da descoberta, ainda não se sabe se a covid-19 pode ser transmitida sexualmente.

O estudo, divulgado pela revista médica JAMA Network Open, se baseou em um pequeno número de pacientes de um hospital na China.

A COVID-19 é transmitida através de gotículas respiratórias ou contato direto. O vírus também foi detectado na saliva, na urina e nas fezes.

Pesquisadores do Hospital Municipal Shangqiu, na província de Henan, realizaram este trabalho para determinar se o vírus poderia ser encontrado no sêmen.

Testes foram realizados com 38 pacientes com COVID-19, com idades entre 15 e 50 anos.

O material genético do vírus foi encontrado no sêmen de seis pacientes. Quatro estavam no “estágio agudo da infecção” e dois “em recuperação”.

Os autores enfatizaram que o estudo foi “limitado pela amostra reduzida” de pacientes e que mais pesquisas são necessárias para determinar se a doença pode ser transmitida sexualmente.

“Se for possível provar que o SARS-CoV-2 pode ser transmitido sexualmente em estudos futuros, a transmissão sexual pode ser uma parte crucial da prevenção”, informou o relatório da pesquisa.

“A abstinência (sexual) e o uso de preservativo podem ser consideradas medidas preventivas para esses pacientes”, acrescentou.