Cloroquina contra Covid-19

Prefeitura conta no momento com 6 mil cápsulas para o tratamento, o que permite atender mil pacientes, anunciou Bruno Covas

A rede municipal de saúde de Saúde de São Paulo introduziu o uso de cloroquina para o tratamento contra a covid-19, informou o prefeito Bruno Covas nesta quinta-feira (9). “Desde que haja prescrição médica, desde que haja consentimento do paciente ou da família, a secretaria municipal, nossos hospitais municipais vão passar a administrar também a cloroquina”, disse Covas.De acordo com o prefeito, há 6 mil comprimidos disponíveis na rede do muncípio para tratamento, o que permite atender mil pacientes. Covas afirmou ainda que determinou a aquisição de novas unidades do medicamento para o combate da doença.Em entrevista coletiva, Covas anunciou também que fará na segunda-feira (13) uma reunião com representantes dos setores de comércio e serviços para discutir a possibilidade de adoção de horários escalonados nos serviços essenciais que contuam abertos som o objetivo de evitar picos de algomeração, em especial, tranporte público da cidade.

Brasil

A indústria farmacêutica instalada no Brasil tem cerca de 8,9 milhões de comprimidos de medicamentos à base de cloroquina e hidroxicloroquina. Estes produtos são aposta do presidente Jair Bolsonaro no combate ao coronavírus, mas estão recomendados pelo Ministério da Saúde somente para pacientes internados, pois faltam estudos conclusivos sobre segurança e eficácia da droga.A indústria afirma que tem capacidade para produzir a demanda pelo remédio, mesmo com bloqueios de exportações da Índia, principal fornecedora da matéria-prima.