Brasil

Bolsonaro demite secretário de Cultura após declaração nazista

O presidente Jair Bolsonaro decidiu demitir o secretário da Cultura, Roberto Alvim, nesta sexta-feira (17), após uma declaração dada nas redes sociais em referência ao nazismo. Segundo auxiliares próximos a Bolsonaro, a situação de Alvim ficou “insustentável”. O ministro Marcelo Álvaro já foi comunicado da decisão.

A polêmica

O secretário especial da Cultura do governo federal, Roberto Alvim, citou trechos de uma fala do ministro da Propaganda de Hitler, Joseph Goebbels, ao anunciar a liberação de R$ 20 milhões para o Prêmio Nacional das Artes. O vídeo do secretário gerou uma onda de críticas e levou o nome de Goebbels a ser um dos mais citados no Twitter durante a madrugada desta sexta-feira (17).

Alvim diz no vídeo que “a arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional, será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional, e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes do nosso povo – ou então não será nada”.

A fala é semelhante a um discurso de Joseph Goebbels em 8 de maio de de 1933, no hotel Kaiserhof, em Berlim.”A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada.” Na ocasião, ele falava para diretores de teatro.

To Top