Mundo

Bebê sem olhos rejeitado pela mãe é adotado e passa fim de ano com a nova família

A ENFERMEIRA ACOMPANHAVA O BEBÊ SE OLHOS DE PERTO. (FOTO: REPRODUÇÃO/SIBERIAN TIMES)

Até poucos dias, a única família da criança era uma enfermeira do orfanato em que estava; o pequeno Sasha foi colocado para adoção em outubro desde ano

O pequeno Sasha, um bebê que nasceu sem os dois olhos na Rússia e foi rejeitado pela mãe, já está com a nova família para passar as festas de final de ano e receber todo o amor que tem direito.

O sorridente Alexander K – com oito meses de idade e apelidado carinhosamente de Sasha – tem uma condição médica excepcionalmente rara, mas é saudável. Seu caso ficou mundialmente conhecido há cerca de dois meses quando sua mãe decidiu entregá-lo para a adoção depois de se declarar incapaz de cuidar do filho.

Desde então, pessoas de todo o mundo manifestaram interesse de adotar a criança, mas a família escolhida é do mesmo país e o bebê já está com eles para não passar o período festivo sozinho no hospital. “A criança já está com a família que atualmente são seus guardiões oficiais. Eles estão preparando os documentos de adoção”, explicou uma das autoridades responsáveis pela adoção ao Siberian Times.

O homem ainda explicou que a identidade da família será mantida em sigilo pelo menos por enquanto e que a escolha por pais russos se deve as dificuldades e burocracias necessárias para a adoção de crianças por estrangeiros.

“É claro que estamos muito felizes com o bebê Sasha e desejando tudo de bom a ele e seus pais”, completou o entrevistado.

Enfermeira era a família de bebê sem olhos

A mãe biológica de Sasha soube sobre a incapacidade rara e difícil do filho numa fase tardia da gravidez e decidiu que, nas circunstâncias dela, ela não era capaz de cuidar dele.

Seu nome não foi revelado pela mídia local no oeste da Sibéria, embora se saiba que ela mesma passou por um orfanato e não se sentiu capaz de dar ao filho toda a ajuda que ele precisaria.

Logo depois de seu nascimento, em outubro de 2019, ele foi encaminhado ao orfanato especializado em crianças de Tomsk e uma das enfermeiras passou a acompanhá-lo de perto. “Ele não é diferente de outras crianças, ele brinca e sorri como qualquer bebê saudável. Ele adora brincar e adora nadar, ele é realmente um bebê muito alegre ‘, declarou ela emocionada à época.

Foi a enfermeira que se apegou ao bebê sem olhos que deu todo o carinho que ele precisava desde então e, inclusive, acompanhou a criança nos implantes de pequenas órbitas oculares, feito para garantir que seu rosto não deformasse.

Criança não possui outras deficiências
Até agora, os médicos russos não veem outras deficiências no desenvolvimento do bebê Sasha, descrevendo-o como “completamente saudável”. Conforme os profissionais, o único outro problema detectado foram dois cistos benignos na testa, que em breve serão removidos.

Tatiana Rudnikovich, médica de Tomsk, declarou que ele está recebendo o tratamento adequado e vem se desenvolvendo da melhor forma possível.

“Sasha está passando por todos os exames e exames regulares como qualquer outro bebê da sua idade. Ele está indo bem”, disse Tatiana.

Outros casos de bebês sem os olhos

Existem poucos casos de bebês nascidos sem olhos registrados no mundo. O mais bem documentado é o bebê “milagroso” Archie Innes, do Reino Unido. Archie, dois, nasceu dos pais escoceses Fiona e Steven Gould, que atualmente vivem em Sydney, na Austrália.

Sua mãe foi informada sobre a síndrome de anoftalmia SOX2 de Archie, 31 semanas após a gravidez, segundo relatos.

A síndrome afeta uma em um quarto de milhão de pessoas em todo o mundo e significa que os bebês nascem sem olhos, ou apenas com olhos muito pequenos. No caso de Archie, ele também apresenta grave atraso motor grave, deficiência auditiva leve a moderada e aspiração moderada.

Bebê sem os olhos no Paraná
Em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, a pequena Lívia também nasceu sem os olhos.

A menininha, diagnosticada com Anophthalmia, também precisa implantar esferas no lugar do olhos para que sua face não afunde. E, assim como Sasha, ela é uma criança feliz e saudável, sem outras complicações.