Estou feliz porque acho que a pessoa que vai receber meu cabelo também vai ficar feliz”. Saiba como doar também!

Dos pedidos de Natal que Papai Noel não vai esquecer: a pequena Sofia Rochel de Almeida Corrêa, de apenas 5 anos, pediu para doar seu cabelo para “criancinhas que não têm”.

E, para ela, abrir mão de algumas mechas não é nada demais. “Meu cabelo cresce, o (cabelo) delas não cresce mais.

Estou feliz porque acho que a pessoa que vai receber meu cabelo também vai ficar feliz”, disse Sofia em entrevista para o G1.

A alegria de Sofia não é à toa. Já falamos por aqui sobre como este tipo de doação é importante para pacientes com câncer, especialmente mulheres e crianças. Os cabelos doados são usados na confecção de perucas para quem passa pelo tratamento mais recorrente para a doença: a quimioterapia, cuja queda dos cabelos é a reação mais comum do corpo.

De acordo com a mãe, Franciane Rochel de Almeida, 31 anos, a decisão partiu da filha. Moradora de Paranapanema, no interior de São Paulo, Sofia Rochel se inspirou em uma campanha que viu na televisão e deixou cabelo crescer por dois anos só com o propósito de fazer a doação!

Sofia cortou mais de 20 centímetros do cabelo e está adorando o look curtinho. A mecha será doada ao Hospital do Câncer de Barretos.

Saiba como doar, assim como Sofia:

Não importa se o cabelo tem química ou é tingido. Avise ao cabeleireiro que o objetivo do corte é a doação dos fios. Assim, ele vai garantir a amarração correta, preso a um elástico e também fazer o corte corretamente: um dedo acima do elástico. O cabelo deve estar totalmente seco e limpo e ser guardado em um saco plástico logo após o corte, para, não correr o risco de mofar.

Algumas organizações, como Cabelegria, Rapunzel Solidária e Banco de Perucas Laço Rosa, já fazem a mediação entre as pessoas que precisam de perucas e as que estão dispostas a doar seus fios.