Início Brasil Chuva Ácida atinge estado de SP nesta segunda-feira (19); evite se molhar...

Chuva Ácida atinge estado de SP nesta segunda-feira (19); evite se molhar com ela

7936
0

Chuva ácida sobre o estado Paulista nesta segunda-feira (19).
Poluição e frente-fria provocam chuvas acida no Sul do estado Paulista e no decorrer do dia na faixa Leste e em parte do centro do estado.

Com o Grande numero de queimadas na zona da floresta Amazônica, uma espessa nuvem de CO2 atinge o estado Paulista, e junto a ela uma frente- fria no litoral.
Com os ventos convergentes, e as chuvas que devem ser causadas pela frente, devemos atentar-se para a acides da mesma, e de jeito algum ficar exposto a chuva!!! FONTE: RODRIGO POSSEBOM / ZERO 19

O QUE É CHUVA ÁCIDA
Um grande problema ambiental é a chuva ácida, que corresponde s qualquer forma de precipitação com alta concentração de ácidos, com pH abaixo de 5.

Chuva ácida é um fenômeno provocado pela emissão de gases poluentes à atmosfera que reagem com a água, tornando-a ácida.

A chuva ácida é um problema ambiental típico de países industrializados e em desenvolvimento, como Brasil, México, China. Representa as chuvas ou quaisquer formas de precipitação que apresentem elevadas concentrações de ácidos. Para a Geografia, considera-se chuva ácida aquela que apresenta pH abaixo do nível tolerável de, aproximadamente, 5,5.

Acidez da chuva
A acidez de uma solução pode ser medida por meio de uma escala numérica conhecida como pH. De acordo com essa escala, o pH 7 indica neutralidade. Assim, quanto menor o pH, mais ácida a solução será. Em contrapartida, quanto maior o pH, mais alcalina ela será.

Toda chuva possui um pouco de acidez, visto que há presença de óxidos naturais no ar. Normalmente, o pH de uma chuva considerada “normal” é em torno de 5,6. A água corrente possui pH 6,8, e a água pura pH próximo ou igual a 7. Para ser considerada ácida, a chuva deve possui pH inferior a 5,5.

Origem da chuva ácida
A chuva ácida pode ter origem natural ou antrópica:

1. Natural: os vulcões são agentes naturais que favorecem a formação de chuva ácida, pois lançam gases, partículas e compostos de enxofre e poeira à atmosfera. Os processos biológicos que se realizam no solo, pântanos e oceanos também são agentes que podem desencadear chuva ácida.

2. Ação antrópica: atividades industriais, queima de combustíveis fósseis por transportes, fábricas e usinas termoelétricas emitem grande quantidade de gases poluentes à atmosfera, os quais podem desencadear a formação de chuva ácida.

Composição da chuva ácida
A chuva ácida é composta por ácidos concentrados, como o óxido de enxofre, de carbono, de nitrogênio e dióxidos de enxofre. Esses óxidos reagem com a água, formando ácidos. O ácido mais forte que compõe a chuva ácida é o ácido sulfúrico, formado pela reação entre os óxidos de enxofre e a água.

Veja no quadro abaixo a origem de alguns gases que compõem a chuva ácida:

Gás poluente

Origem

Dióxido de enxofre

– Combustão de carvão

– Fabricação de fertilizantes

– Aquecimento de minérios do grupo sulfato

Óxidos de nitrogênio

– Combustão de carvão vegetal

– Combustão de derivados do petróleo

– Fumaça de cigarros

Ácido clorídrico

– Indústrias de fertilizantes

– Indústrias eletroquímicas

– Combustão de materiais compostos por cloro

Ácido fluorídrico

– Indústrias de vidro

– Fundições de metais pesados

– Indústrias de fertilizantes

Como se forma a chuva ácida?

Os gases liberados à atmosfera pelas indústrias reagem são diluídos na água, formando a chuva ácida.
Gases emitidos à atmosfera, como o óxido de enxofre, reagem com a água e formam os ácidos sulfúrico e sulfuroso. Já a reação do gás nitrogênio com a água forma os ácidos nítrico e nitroso. Esses são os principais ácidos que compõem a chuva ácida.

A precipitação da chuva ácida causa inúmeros danos ao meio ambiente e aos seres vivos. É válido lembrar que os ventos podem levar os gases poluentes a regiões distantes da fonte que os emitiu, fazendo com que a chuva ácida ocorra não só nos locais de emissão, mas também em regiões afastadas.

Saiba mais: Como se formam as chuvas?

Consequências da chuva ácida
A chuva ácida é considerada um grave problema no mundo todo. Em decorrência do aumento da poluição atmosférica, associada às emissões de gases poluentes por agentes naturais, intensificou-se a incidência de chuvas ácidas em todas as partes do planeta, especialmente nos países industrializados.

A precipitação com concentração de acidez pode causar danos aos solos, tornando-os acidificados. A contaminação do solo pode alcançar recursos hídricos, como lençóis freáticos, rios e lagos. A água com baixo pH provoca perda da biodiversidade, impossibilitando o desenvolvimento da vida aquática.

A vegetação também é afetada pela chuva ácida. Estudos indicam que a acidez prejudica o desenvolvimento das plantas, fazendo com que apresentem lentidão em seu crescimento, podendo até morrer. A superfície das folhas é rompida, ocasionando seu empobrecimento nutricional e fazendo com que a vegetação torne-se suscetível a doenças e pragas. Além disso, as raízes crescem com lentidão, dificultando o transporte de nutrientes. A chuva ácida pode ainda afetar plantações, prejudicando colheitas e trazendo diversos prejuízos sociais e econômicos.

A chuva ácida afeta também a saúde dos seres humanos. O acúmulo de dióxido de enxofre no organismo pode provocar doenças respiratórias. Além disso, a ingestão de água acidificada pode causar doenças, como Alzheimer, Parkinson e hipertensão. Em crianças, podem ocorrer problemas associados ao cérebro.

O ambiente também é prejudicado pela precipitação ácida. Monumentos e obras civis podem sofrer corrosão e ser destruídos.