Início Brasil Madrasta faz vídeo obrigando enteada de 5 anos a tomar cerveja em...

Madrasta faz vídeo obrigando enteada de 5 anos a tomar cerveja em Goiás

1985
0

Madrasta é suspeita de dar cerveja a menina de 5 anos e gravar vídeo, em Bom Jesus/GO.

A Polícia Civil está investigando uma madrasta suspeita de ter dado bebida alcoólica a uma menina de cinco anos e ainda gravar um vídeo que acabou viralizando na internet (veja acima). O caso aconteceu em Bom Jesus de Goiás, e revoltou os moradores da cidade no sul do estado, segundo o Conselho Tutelar, que acompanha o caso.

As investigações iniciais apontam que as gravações foram feitas na noite de sábado (10), mas só nesta segunda-feira (12) conselheiras tutelares da cidade tiveram acesso às imagens e conseguiram identificar os envolvidos e encaminhar o caso no fim do dia para a delegacia.

O G1 não teve acesso ao nome da suspeita e não conseguiu saber se ela já é representada por algum advogado. Segundo o delegado Vinícius Penna, a mulher vai ser ouvida nesta terça-feira (13), quando também deve prestar depoimento o pai da menina.

No vídeo que circula na web é possível ver a mulher com uma lata de cerveja na mão e passando para a menina em mais de um momento. A criança chega a recusar a bebida em alguns trechos, mas logo é convencida pela madrasta.

Dá para ouvir quando a mulher manda a menina virar a lata e comemora, mesmo a garota fazendo ânsia de vômito.

“Vira, vira, vira… É isso aí garota! Filha de peixe, peixinho é”, falou a madrasta, dando risada e cantando.

Madrasta é investigada por dar bebida a enteada de 5 anos em lata de cerveja e gravar vídeo, em Bom Jesus de Goiás — Foto: Reprodução

Segundo a conselheira tutelar Rosa Maria de Oliveira, assim que ela e a colega de trabalho Laudelina Rodrigues tiveram acesso ao vídeo nesta segunda começaram a procurar em escolas da cidade por informações que pudessem levar à garota e à identificação dos responsáveis.

“Quando a gente estava em uma escola, recebemos a ligação da secretária de uma outra escola de que a menina estava lá com a madrasta. Chegamos lá e conversamos com ela. Mas o clima estava tenso do lado de fora, porque algumas pessoas revoltadas queriam bater na mulher. Tivemos que pedir auxílio da PM”, informou Rosa.

A conselheiro disse ainda que comunicou o caso à Polícia Civil e encaminhou a criança para um familiar paterno.

“O pai da menina falou que não estava em casa, porque tinha saído para trabalhar em uma fazenda e deixou a menina com madrasta, que tem 25 anos. Ele falou que a mulher está muito arrependida do que fez”, contou a conselheira, informando que a menina mora com o pai há dois anos e convive com a madrasta pouco mais de um ano.

“A mãe da menina mora em Minas Gerais, mas chegou na cidade para acompanhar o caso e disse que vai pedir a guarda da filha”, afirmou Rosa.

Um relatório sobre o caso será encaminhado pelo Conselho à Polícia Civil e ao Ministério Público ainda nesta terça-feira.

O delegado Vinícius Penna informou que vai avaliar melhor o caso nesta terça após os depoimentos, mas que inicialmente a madrasta pode responder pelo crime de fornecer bebida alcoólica para menor, previsto no Artigo 243 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

“Já registramos a ocorrência e instauramos inquérito policial contra a mulher, que é madrasta da criança. O pai não estava em casa no momento do caso, mas também vamos ouvi-lo”, relatou Penna.