Início Uncategorized Dias dos Pais sem pai: como passar por essa data sem chorar...

Dias dos Pais sem pai: como passar por essa data sem chorar (por mais difícil que seja)

969
0

Quando criam uma data do tipo “Dia de tal coisa”, normalmente, a finalidade é comercial. As vendas aumentam, afinal, poucas pessoas conseguem se safar da pressão de seguir o script. Conforme o tal dia vai se aproximando, todos os meios de comunicação anunciam e lembram daquela data, apelando para mensagens emocionantes, na maioria das vezes.

No dia 11 será comemorado o “Dia dos Pais”. Tradicionalmente, a data é celebrada no segundo domingo de agosto, anualmente. Esse será mais um ano em que passarei o dia sem a presença do meu pai. Muitas vezes, isso foi motivo de incômodo para mim. Todo o apelo emocional exposto nas mídias – por mais que o objetivo seja apenas lucrar – acabam mexendo com qualquer ser que possua um coração. Inclusive comigo, devo admitir.

Conversando com algumas pessoas, percebi que passar o Dia dos Pais sem o pai por perto é mais comum do que imaginava. Às vezes é porque ele já faleceu, em outras é porque nunca esteve presente e em alguns casos é pela distância física mesmo. Tem gente que lida bem com isso, outras ainda não superaram a situação. Cada um enfrenta as coisas do seu modo, como consegue.

Quando ele parte
A Alesca Larissa, perdeu o pai quando tinha 4 anos de idade. Já se passaram 11 anos e ela conta que ainda não conseguiu acostumar-se com a falta que ele faz. Para ela é difícil não imaginar como seria se ele ainda estivesse presente. Alesca passará o Dia dos Pais com a avó paterna.

“Uma coisa que me intriga muito é ver uma pessoa que ‘ignora’ o pai, enquanto muitas de nós queríamos ele aqui nem que seja para fazer uma ligação”, desabafou.

A Lady Salieri também teve que lidar com a morte do seu pai bem cedo, com 6 anos de idade. Ela afirma que já está acostumada e que nem lembra como é passar essa data com a presença paterna. A situação nunca foi motivo de revolta para Salieri.

“Só era esquisito quando na escola a gente tinha que ficar fazendo aquelas tarefinhas para o Dia dos Pais, mas daí eu fazia tudo para a minha mãe”, explicou.

Para algumas pessoas, a dor de perder o pai nunca tem fim. Esse é o caso da Camila Carvalho. Ela conta que há 5 anos passa o Dia dos Pais sem poder visitar o seu, nem levar seus filhos para almoçar na casa do avô.

“Quando chega em agosto já fico imaginando que não o verei com o seu olhar sério e suas sobrancelhas arqueadas. Não poderei dizer que ele não era e nunca foi meu herói, mas era o melhor pai que Deus escolheu me dar. Eu só queria dizer de novo não com palavras, mas com os abraços o quanto ele me faz falta”, contou Camila.

Quem vai passar o Dia dos Pais sem o pai pela primeira vez é a Nathalia Dutra, que foi assassinado em dezembro passado, perto do Natal. Ela confessa que está com medo da data, pois, sabe que se sentirá muito triste, mais ainda do que o normal.

“Meu pai sempre foi a pessoa mais próxima de mim, éramos muito grudados desde quando nasci. O que eu sinto é um vazio imenso, como se uma parte de mim fosse brutalmente arrancada e não fosse mais voltar. Não consigo, até hoje, colocar na minha cabeça que ele já não está mais aqui e nunca mais vou vê-lo. Só… não dá pra aceitar”, desabafou.

Dicas para quem perdeu o pai

Faz dez anos que meu pai faleceu e sempre passo essa data sem ele. Me chamou a atenção que num pequeno grupo, tanta gente vivencia a mesma situação que eu. Às vezes achamos que só nós passamos por dificuldades e esquecemos que têm muitas outras pessoas com casos semelhantes.

Bom, mas vamos ao que interessa! A minha dica é: não fica sozinho (a). Vive esse dia com alguém que tu gosta muito. Pode ser junto de alguma pessoa que tem desempenhado esse papel de pai pra ti, como mãe, tio, irmão, avô, padrasto… Ou alguém que é um pai que tu admira, por exemplo, o pai dos teus filhos, o pai de algum amigo, etc. Aproveita pra dar bastante carinho pra essa (s) pessoa (s) e, se quiser, alguma lembrancinha.

Dicas para quem sofreu abandono ou não se dá bem com o pai

Só quem passa por isso pode mensurar o quão doloroso é. Não vou ser hipócrita e dizer aqui que tu é obrigado a desculpar o teu pai por tudo que tu sofreu. Mas se existir alguma chance de perdoá-lo, tenta fazer isso. O tempo se passa, às vezes o motivo do desentendimento já nem existe mais, as pessoas mudam, então, quem sabe vocês consigam ter uma relação amigável a partir de agora?

Caso isso realmente não seja possível, se o teu pai tiver ido embora e não dá a mínima para o filho que fez, bom, o que eu posso dizer é: já foi tarde. Quem abandona ou briga com um filho e nunca se arrepende, nunca tenta se reconciliar, não demonstra sequer um pouco de sentimento, não merece mesmo o amor e o carinho que o filho poderia lhe dar. Aí, vale usar as mesmas dicas de quem perdeu o pai. Passa esse momento com alguém que te ama, homenageia essa pessoa, porque essa merece.

Afinal, qual é a importância do Dia dos Pais?

Acho que a importância, assim como o significado do Dia dos Pais, é a que tu mesmo atribui à data. Quando se pensa na verdade “nua e crua”, colocando de lado todos os costumes cultuados no segundo domingo de agosto, as coisas tornam-se mais claras e menos dolorosas. Pára e pensa: é apenas um domingo normal, como QUALQUER OUTRO. Quem estiver com o pai, deve respeitá-lo e demonstrar carinho, assim como em todos os outros dias. Quem não estiver com o pai, deve seguir a vida do mesmo modo como vem seguindo até então, já que no dia seguinte será segunda-feira e tudo voltará ao “normal”.

Sei bem que não é muito fácil passar por isso, mas é importante lembrar sempre de três coisas:

1ª – Tu não é a única pessoa nesse mundo que não vai estar com o teu pai nesse dia, acredite! Tem muita gente na mesma situação.

2ª – Sempre tem um ângulo em que as coisas se tornam menos difíceis. Tenta olhar por ele, procurar alternativas e, da tua maneira, superar essa data.

3ª – Vou ser muito clichê agora, mas azar, acho necessário lembrar disso… O segredo da felicidade é que ela está dentro de ti.