Comportamento

Como estimular a pessoas com deficiência intelectual em casa durante a quarentena

Em tempo de quarenta, saiba como estimular a pessoa com deficiência intelectual em casa

Profissionais da saúde, assistência social e educação da APAE Sorocaba dão dicas de atividades lúdicas e exercícios para pais e familiares realizarem, no lar, com as pessoas com deficiência intelectual e múltipla.

Você sabia que cerca de 22% da população brasileira possui algum tipo de deficiência? Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O fato de ser uma pessoa com deficiência não significa que tenha mais vulnerabilidade às doenças, como o novo Coronavírus (COVID-19). Porém, tal como todas as pessoas, aquelas que têm deficiência e apresentam restrições respiratórias, alterações imunológicas, lesão medular, lesão encefálica, neurodegenerativas, neuromusculares, dificuldade na comunicação exigindo cuidados pessoais, dentre outros problemas semelhantes pertencem ao grupo de risco para contaminações e a recomendação continua sendo a restrição ao contato social, ou seja, devem ficar resguardadas, em casa.

Muitas pessoas com deficiência intelectual e múltipla são atendidas por profissionais da saúde em instituições especializadas, porém, essas entidades também estão com seus trabalhos suspensos temporariamente por determinação dos órgãos competentes, como é o caso da APAE Sorocaba. E, pensando em auxiliar pais e familiares a darem sequência nos trabalhos de estímulo aos assistidos neste período de quarentena, os profissionais de saúde, assistência social e educação da APAE Sorocaba elaboraram uma lista de dicas de atividades lúdicas e exercícios para serem realizados no lar. Confira:

1) Livros didáticos

De acordo com a coordenadora técnica de saúde da APAE Sorocaba, Fernanda Lopes, foi disponibilizado um guia com orientações para estimular as crianças com deficiência em casa. “O material didático é do Instituto Jô Clemente, uma Organização da Sociedade Civil sem fins lucrativos, que traz importantes orientações sobre os cuidados das pessoas com deficiência intelectual para cada faixa etária, sejam bebês ou crianças de até 6 anos”, comenta.

O guia explica as principais características do estímulo e habilitação a essas crianças, promovendo autonomia, independência e inclusão social. Ao mesmo tempo, oferece experiências únicas, exigindo que elas reajam às solicitações externas e respondam aos desafios, estimulando o desenvolvimento de seus potenciais.

2) Exercícios

Os procedimentos de reabilitação, quando igualmente realizados em casa, contribuem muito para o desenvolvimento ósseo e muscular da pessoa com deficiência. Os fisioterapeutas da APAE Sorocaba, Paulo Mendonça e Vanessa Veras, sugerem que os pais e familiares façam alongamentos com os assistidos todos os dias, de maneira suave nos braços, nas pernas e na coluna. “As pessoas acamadas ou em cadeira de rodas sempre precisam ser auxiliadas para mudar a postura quando forem assistir à TV, sentadas no sofá ou deitadas na cama. Já, quanto às crianças, os pais podem estimular sua autonomia e independência, deixando que se alimentem sozinhas, mesmo que assistidas”, explicam.

3) Alimentação saudável

Neste período em que todos estão em casa, é mais difícil seguir uma alimentação saudável e os horários certos para fazer as refeições. Porém, a técnica em alimentos da instituição, Gabriela Mari Silva, recomenda aos pais e familiares elaborarem um cardápio nutritivo e manterem a rotina. “Sempre é bom mantermos o hábito de ingerir alimentos saudáveis, como: legumes, verduras, proteínas e frutas. É fundamental que as pessoas com deficiência se alimentem de forma adequada e regrada, para que tenham qualidade de vida, mas também pelo fato de tomarem medicamentos de uso contínuo”, afirma.

4) Brincadeiras

O momento de lazer também é muito importante para pessoas com deficiência e seus responsáveis. Brincadeiras adaptadas, a exemplo do uso de bola plástica, blocos de montar, jogo da memória, quebra-cabeça, caça-palavras e pinturas, ajudam a estimular a coordenação motora, criatividade, raciocínio, concentração e outros sistemas sensoriais. “Brincar é algo natural para as crianças, então, recomendamos que os pais ou responsáveis tenham momentos de lazer e diversão com elas, porém, as atividades devem ser feitas em casa, e não em áreas externas”, aconselha Fernanda Lopes.

5) Atividades domésticas

A família pode, sim, dividir as tarefas do lar entre seus membros, inclusive as pessoas com deficiência, sempre respeitando a idade e a limitação de cada um. Na APAE Sorocaba, a oficina prática “Cozinha Experimental” é uma das atividades que os atendidos participam e aprendem nesse sentido, como: ligar o fogão, preparar receitas com reaproveitamento de alimentos, lavar e secar a louça, enfim, eles são ensinados, de forma lúdica e prazerosa, a como ajudar os adultos na cozinha. “Muitos se sentem incapazes de fazer algo em razão da proteção exagerada da família. As pessoas com deficiência conseguem ajudar em casa, mas, é claro, que cada um do seu jeito. Cabe às famílias terem paciência e muito amor e dedicação para ensinar”, afirma a coordenadora técnica da APAE Sorocaba, Cátia Rocha.

Os profissionais da APAE Sorocaba postarão outras dicas importantes sobre os estímulos aos deficientes intelectuais nas redes sociais da instituição. Lá, também serão divulgados vídeos com tutoriais explicando sobre a forma correta de higienização das mãos e demais medidas de proteções ao Coronavírus. “Neste momento, é preciso redobrar os cuidados com a higiene individual das pessoas com deficiência. Muitos conseguem realizar o próprio cuidado e, neste caso, contarão apenas com auxílio verbal sobre a forma correta de lavar as mãos e outras maneiras de prevenção, como, por exemplo, a higienização de óculos e celular. Outros, contudo, precisarão de ajuda física e supervisão durante as atividades”, finaliza.

Mais informações sobre da APAE Sorocaba podem ser obtidas pelo telefone: (15) 3219-2499 ou pelo site: http://apaesorocaba.org.br/. A APAE Sorocaba fica na Rua Ubirajara, 528, na Vila Gabriel.