Brasil

Estudantes são agredidos em sala de aula por policiais militares na zona oeste de SP

Estudantes são agredidos por PMs em escola na zona oeste de SP

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram policiais militares dando socos, chutes e rasteiras em dois jovens dentre de uma escola estadual; assista:

Ao menos dois estudantes foram agredidos por policiais militares na noite desta terça-feira (18) dentro de uma escola na zona oeste de São Paulo. A ação dos PMs na Escola Estadual Emydio de Barros, na Vila Butantã, região do Rio Pequeno, foi filmada por outros alunos que, aos gritos, pediam que as agressões parassem.

Os vídeos que circulam nas redes sociais mostram policiais tirando um rapaz de uma sala de aula, enquanto um jovem de camiseta azul filma a abordagem. Um dos PMs que fazia o acompanhamento do primeiro jovem dá um soco no rapaz com o celular e o domina, segurando-o por uma das pernas. Ao mesmo tempo, outro PM dá um chute na perna de apoio do rapaz e o faz cair no chão, onde recebe chutes e socos de quatro policiais.

Outros agentes apontam armas para estudantes que tentam interceder pelo colega. Um policial ainda domina, com um mata-leão, o rapaz de boné, que teria se recusado a sair de uma das salas de aula.

Motivo das agressões

De acordo com relato dos familiares e da direção da escola, o rapaz de boné teria 19 anos seria um ex-estudante que abandonou os estudos e teve a matrícula cancelada. Nesta terça-feira (18), ele teria retornado à sala de aula e se recusado a atender o pedido da diretora da unidade para que ele deixasse o local.

A direção acionou viaturas da Polícia Militar que participam do Programa de Policiamento Escolar. Mesmo após a chegada da PM, o homem continuou a se negar a deixar a instituição.

Os PMs tentaram retirar o jovem da sala, mas ele se desvencilhou, dando início à confusão filmada por outros alunos.

O rapaz de camiseta azul é aluno da escola e foi identificado como Matheus da Conceição Lima, de 16 anos. Ele tenta filmar a abordagem, mas um dos agentes joga spray de pimenta para afastá-lo antes de as agressões contra ele começarem.
Kevelyn da Conceição, irmã de Matheus, contou à Agência Record que o pai do adolescente foi até a delegacia para tentar acompanhar o filho, que foi levado ao 91° DP do Ceasa junto com o homem de 19 anos, e informou que ele estava muito machucado pelos golpes que sofreu.

Além de Matheus, o pai informou que o rapaz de 19 anos também está machucado.

Outro lado

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que “todas as circunstâncias relativas ao fato serão apuradas. As imagens exibidas pela reportagem são analisadas pela Polícia Militar para a identificação dos envolvidos e a adoção das medidas cabíveis”.

A sala de imprensa da Polícia Militar respondeu apenas que há um registro de ocorrência por volta das 20h00, de um aluno que estava desacatando funcionários e que a ocorrência foi resolvida no local.

A Secretaria de Educação do Estado afirmou que vai apurar o episódio e que colabora com a polícia para esclarecer o caso.